Dona Fifi aos 19 anos.

Apostilas eletrônicas de Dona Fifi
SHOCKLEY


William Shockley inventou o transistor de junção em 1948, logo após John Bardeen e Walter Brattain terem inventado o transistor de ponta. Em 1956, os três receberam o prêmio Nobel de Física por esses trabalhos.

Shockley era um cidadão problemático. Quando trabalhava no Laboratório Bell desentendeu-se com Bardeen que preferiu romper a parceria e sair do grupo. Ninguém queria Shockley como chefe, por ser arbitrário, nem como colega, por ser picuinha.


Bardeen à esquerda, Shockley e Brattain.
Em 1973, quando sua carreira científica e empresarial já tinha se esvaído, Shockley resolveu entrar na área de ciências humanas. Melhor seria chamar de ciências desumanas. Criou o termo "disgenia", que seria um mecanismo de degeneração da espécie. Segundo ele, as pessoas geneticamente inferiores costumam ter mais capacidade de fazerem filhos (em termos técnicos, têm mais tesão). Dessa forma, a população de seres de baixa qualidade tenderia a inchar. É claro que, ao se referir a seres inferiores, ele estava pensando em negros e latinos. Nós, portanto. Publicou trabalhos onde afirmava que os negros tinham QI (o famigerado "quociente de inteligência") 15 pontos abaixo dos brancos, em média. Sugeriu que o governo pagasse cada pessoa com QI abaixo de 100 que topasse ser esterilizada.

Nessa seara, Shockley estava em boa companhia. O austríaco Konrad Lorentz, inventor de outra idéia de jerico, a chamada "etologia", escreveu um artigo no qual pregava "uma eliminação mais severa de seres humanos moralmente inferiores". Como isso foi escrito em 1942, quando Lorentz pertencia aos quadros do partido nazista alemão, na certa ele se referia aos judeus. Pois pode acreditar: Lorentz também ganhou seu prêmio Nobel (de medicina), em 1973.

Tudo muito boa gente.

Shockley foi o primeiro doador de um banco de esperma fundado em 1980 por R. Graham e Hermann Müller, que, apesar desse nome suspeito, também ganhou o prêmio Nobel de medicina em 1946. A idéia desse banco seria recolher o esperma de pessoas com QI maior que 140 e usá-lo para melhorar a raça humana. Imagine que melhora seria essa! Um mundo cheio de Shockleyzinhos esterilizando pretos e judeus.

Pouquíssima gente se interessou por esse ridículo banco e, aparentemente, o esperma de Shockley e seus cumpinhas deve estar esquecido em alguma geladeira. O grande homem morreu ainda crente que estava com a razão e suas idéias foram usadas no infamoso livro "The Bell Curve", alguns anos mais tarde. Triste destino para um dos fulanos que deram a partida ao mundo tecnológico em que vivemos.


6 - LATTES - Um brasileiro que poderia ter sido e que não foi. O que será que Bohr achou disso?

7 - HOYLE - Não ganhou por não ser convencional e certinho. Do mesmo modo que Borges.